Bem vindo à TLC Portugal

Entrevista a Mário Ferreira

Como é o dia-a-dia de um Agency Director numa agência internacional? Entrevista a Mário Ferreira

Publicado por ana.ribeiro | 21 April

Há quase 6 anos que integrou a equipa da TLC Marketing e, desde então, não há nenhuma marca portuguesa que não conheça. Já ajudou empresas como a Ocidental, Mapfre, Millennium bcp, AXA, IKEA, ACP, MEO, NOS, Diageo, Unilever, PepsiCo, Continental, Cofina e Grupo Impresa, entre outras, a construir novos conceitos promocionais e de comunicação que criam fortes ligações emocionais com os consumidores e clientes destas marcas.

Hoje, temos a oportunidade de aprender um pouco mais sobre estas campanhas e a TLC Marketing, fruto do testemunho do nosso Agency Director, Mário de Sousa Ferreira, cujos mais de 15 anos de experiência nos setores do marketing e da publicidade, aliados ao incrível trabalho de toda a equipa, têm contribuído para mudar muitos dos paradigmas de marketing nos últimos anos.

 

O que gostas mais no trabalho de Agency Director na TLC Marketing? 

- O lugar junto à janela, com vista para o Tejo (risos) 

Garantidamente, é o desafio da “reinvenção”. Na TLC Marketing, geramos diariamente novas ideias, conceitos e mecânicas promocionais que se diferenciam daquilo que já foi feito. Os consumidores são ávidos por diferenciação, e a nossa missão é ajudar os nossos clientes e as suas marcas a surpreendê-los a cada novo momento de interação e relação. É um desafio árduo mas gratificante, este de ajudar a inovar os momentos promocionais da marca mas protegendo a sua identidade, o seu posicionamento e a sua mensagem. O Agency Director ou qualquer outro colaborador com qualquer função na TLC Marketing, são um filtro para garantir que esta premissa é respeitada. 

 

Qual foi a campanha em que mais gostaste de trabalhar? 

- Foram inúmeras as campanhas em que trabalhámos de forma muito criativa e estratégica, que obtiveram visibilidade no mercado e elogios dos clientes e consumidores, pelo que não tenho uma campanha “preferida”. Mas tenho uma ligação especial com aquelas cujos resultados foram mais significativos. É essencial conseguir retornar o investimento dos nossos clientes nas nossas campanhas e, neste caso específico, as campanhas no setor financeiro têm-se revelado autênticos case studies de rentabilidade.

 

Quais são as características mais importantes para ser um marketeer?

- Não sei, vais ter que perguntar a um deles… (risos). 

Agora a sério, acredito que todos nós somos marketeers, independentemente da nossa profissão, da mesma forma que todos somos também vendedores. Um bebé chora para que o alimentem, uma criança faz birra para que lhe comprem um brinquedo, um teenager faz swag para ser cool e qualquer um de nós, adultos, se vê a oferecer um ramo de flores à cara-metade para manter acesa a chama ou a vestir um “modelito” de roupa nova para estar e sentir-se bem. Tudo isto é marketing. Tudo isto é vender e passar uma mensagem, para que outros a entendam e comprem ou reajam da forma que queremos. Neste sentido, é muito importante ter a capacidade de calçar os sapatos daqueles a quem estamos a transmitir uma mensagem e tentar perceber o que sentiríamos no seu lugar; tentarmos olhar com os seus olhos e entender o que, eventualmente, estarão a ver. Para além disso, é essencial complementarmos esta “sensibilidade” do senso comum (desculpa a redundância), aquilo que achamos e sentimos que as pessoas realmente querem, com o máximo de informação e de suporte analítico que pudermos. Enquadrar estrategicamente as nossas ideias com dados que as corroborem, confere-nos uma maior probabilidade de sucesso. E depois, como ingrediente essencial, uma boa dose de sorte (risos).

  

O que é que, na tua opinião, faz uma campanha promocional ser um sucesso? 

Para além de tudo o que referi atrás e que já responde um pouco a esta tua questão, o momento em que comunicamos é essencial. De nada serve comunicar uma vantagem ou benefício, num momento em que o consumidor não possua essa necessidade. Da mesma forma, o entendimento do perfil do nosso target obriga-nos a adequar a mensagem e a vantagem certas, específica para os mesmos, e não a generalizar; ao contrário do que defende aquela “máxima”, dificilmente venderás um frigorífico a um esquimó. Nesse sentido, e resumindo, uma boa ideia, um benefício e uma oferta de valor percebido elevado para o consumidor atribuída no momento certo, são ingredientes essenciais para o sucesso da campanha. Não esquecer que é essencial comunicar a campanha nos suportes preferenciais dos consumidores, desde o ponto de venda às redes sociais. Os clientes e as marcas que o esquecem, raramente obtêm os resultados que desejavam.